Você está aqui: Página Inicial / Notícias / Alunos do Ensino Médio fazem visita técnica a fábrica da Coca-Cola

Alunos do Ensino Médio fazem visita técnica a fábrica da Coca-Cola

Eles conheceram processos aplicados nas áreas de logística, tecnologia, sustentabilidade e marketing


Os estudantes do 2° ano do Ensino Médio do Colégio Metodista Izabela Hendrix visitaram uma fábrica da Coca-Cola FEMSA, no município de Itabirito, no dia 26 de maio. O trabalho de campo foi realizado diante dos tópicos estudados na disciplina de geografia, ampliando o conhecimento adquirido dentro da escola.

O objetivo da atividade é que os alunos possam elaborar uma compreensão integrada em relação à dinâmica envolvida em um processo industrial, sua linha de produção, a logística, a importância econômico-social, a sustentabilidade por trás da fabricação e as tecnologias envolvidas em toda a cadeia.

Durante a visita, além de conhecer a fábrica e um pouco da história da marca, os estudantes analisaram as estruturas físicas da planta e o complexo como um todo. “A atividade de campo na Coca-Cola foi muito boa, pois além de ter sido divertida e dinâmica, conseguimos sair dos livros e da imaginação para poder ver realmente o que é uma indústria totalmente tecnológica”, lembra a aluna Amanda Braga Costa.

 

Segundo o professor Marcus Augusto Husbert Júnior, um dos pontos positivos da visita técnica foi contar com a análise direta de especialistas ligados à engenharia de produção, que fizeram os alunos visualizarem a real importância do tema pesquisado. “Nossos alunos são incentivados a desenvolver suas habilidades pela observação e pela ação, da teoria constatada na prática”, explica o docente.

Para a aluna Ana Beatriz Cucaroli, a visita teve o mérito de esclarecer muitas dúvidas sobre o processo de produção industrial e acrescentou ao conhecimento de geografia das indústrias muitos pontos sobre os quais ela não tinha pensado. “Gostaria ainda que pudéssemos ter mais atividades do mesmo modelo, pois assim a matéria se torna mais visível e parece muito mais interessante”, argumenta.